quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Dorival Caymmi - Discografia Completa

* 30/4/1914 Salvador, BA
+ 16/8/2008 Rio de Janeiro, RJ

Filho de Durval Henrique Caymmi e Aurelina Cândida Caymmi, conhecida por Dona Sinhá. O pai era funcionário público e tocava violão, bandolim e piano. Sua mãe cantava muito bem. Teve três irmãos: Deraldo, Diná e Dinair. Aos seis anos de idade, começou a freqüentar a Escola de Belas Artes, no Colégio de Dona Adalgisa. Estudou depois no Colégio Batista e, em 1926, concluiu o curso primário no Colégio Olímpio Cruz. No ano seguinte, matriculou-se no curso ginasial no referido colégio, mas o abandonou no mesmo ano para trabalhar. Empregou-se no escritório do jornal "O Imparcial", da capital baiana, onde fazia diferentes serviços. Na mesma época, começou a fazer as primeiras pinturas, desenhando tabuletas para lojas comerciais. Em 1929, o jornal fechou e teve que se dedicar a outros serviços. Foi vendedor de cordões para embrulho e de bebidas nacionais. Perdeu o emprego quando, junto com alguns amigos, resolveu experimentar as amostras de bebidas. Nessa época, 1933, começou a compor marchinhas e toadas, como "No sertão", sua primeira composição. No ano seguinte, começou a tomar aulas de violão com seu pai e com seu tio Cici.
Em 1935, passou num concurso para escrivão da coletora estadual, cargo para o qual nunca foi nomeado. No mesmo ano, começou a cantar por acaso, quando foi visitar a Rádio Clube da Bahia, na companhia do amigo Zezinho. Perguntados por um funcionário da Rádio sobre o que faziam, Zezinho respondeu que cantavam. O funcionário tanto insistiu que Caymmi acabou cantando para surpresa de Zezinho que ficou encantado com sua voz ao microfone. Ainda em 1935, prestou serviço militar no Tiro de Guerra nº 284.
Em 1937, mudou-se para o Rio de Janeiro, viajando num Ita, um pequeno navio de passageiros, com a intenção de estudar jornalismo e trabalhar com desenho. Conseguiu, através de um parente, publicar alguns desenhos na revista "O Cruzeiro". Recebeu conselhos para seguir a carreira de cantor. Foi apresentado ao diretor da Rádio Tupi, Teófilo de Barros Filho, que se agradou de sua voz e o contratou por 30 mil réis. Em 1939, conheceu num programa de calouros na Rádio Nacional a sua futura esposa, a cantora Stella Maris, quando ela cantava "Último desejo", de Noel Rosa.
Em 1940, casou-se com Adelaide Tostes, nome verdadeiro da cantora Stella Maris. O casal teve três filhos: Dinair (Nana, 1941), Dorival (Dori, 1943) e Danilo Cândido (1948), que se tornariam também grandes nomes da música popular brasileira. Em 1943, perdeu sua mãe. Nesse mesmo ano, passou a frequentar o curso de desenho na Escola de Belas Artes no Rio de Janeiro. Em 1953, inaugurou a Praça Dorival Caymmi em Itapoã. Dois anos mais tarde, mudou-se com a família para São Paulo, lá vivendo por cerca de um ano. Caymmi tem seis netos, Stella Teresa, Denise Maria e João Gilberto (filhos de Nana), João Vítor (filho de Dori) e Juliana e Gabriel (filhos de Danilo).
Em 1968, ganhou do Governo da Bahia uma casa na Praia de Ondina, em reconhecimento a sua importância para a cultura brasileira. Em 1972, foi agraciado no Palácio do Itamaraty (Brasília) com a comenda da Ordem do Rio Branco, em Grau de Oficial. Foi também agraciado com a comenda da Ordem do Mérito da Bahia.
Em 1984, recebeu, em comemoração ao 70º aniversário, inúmeras homenagens, tais como: a edição de um CD duplo e de um álbum de desenhos patrocinado pela Funarte (Rio de Janeiro); a outorga da comenda da "Ordre des arts et des lettres de France"; a outorga da Ordem do Mérito Judiciário do Trabalho (Brasília) e a outorga do título de Doutor Honoris Causa da Universidade Federal da Bahia (Salvador). Em 1985, inaugurou a Avenida Dorival Caymmi na capital baiana. Em 2001, esbanjando jovialidade em seus quase 90 anos, voltou às paradas de sucesso compondo para a televisão. Lutando contra um câncer renal desde 1999, faleceu de insuficiência renal e falência múltipla dos órgãos em sua casa no bairro carioca de Copacabana onde estava em internação domiciliar desde dezembro de 2007. Seu corpo foi velado na Câmara Municipal do Rio de Janeiro com a presença de parentes e amigos, entre os quais inúmeros músicos. Sobre ele assim falou o presidente da República Luis Inácio Lula da Silva: "Ele é um dos fundadores da música popular brasileira, patriarca de uma linhagem de músicos de talento. Suas canções praieiras e seus sambas-canção são patrimônio da cultura nacional. Brilhou e inovou como compositor, músico e cantor. Sua música é uma completa tradução da Bahia."

Son of Durval Henrique Caymmi and Aurelina Cândida Caymmi, known by Dona Sinhá. His father was a civil servant and played guitar, mandolin and piano. His mother sang very well. He had three brothers: Deraldo, Diná and Dinair. At the age of six, she began attending the School of Fine Arts, in the College of Dona Adalgisa. He later studied at the Baptist College and, in 1926, completed the primary course at the Olímpio Cruz College. The following year, he enrolled in junior high school, but left him in the same year to work. He was employed at the office of the newspaper "O Imparcial", in Bahia, where he did different services. At the same time, he began to make the first paintings, drawing tablets for commercial stores. In 1929, the newspaper closed and had to dedicate itself to other services. He was a seller of laces for wrapping and domestic drinks. He lost his job when, along with some friends, he decided to sample the drinks. At that time, 1933, began to compose marchinhas and toadas, like "In the sertão", its first composition. The following year, he began taking guitar lessons with his father and his Uncle Cici.
In 1935, it passed in a contest for clerk of the state collector, position for which never was appointed. In the same year, he began to sing by chance, when he went to visit Radio Clube da Bahia, in the company of his friend Zezinho. Asked by a Radio employee about what they were doing, Zezinho replied that they were singing. The official both insisted that Caymmi ended up singing to Zezinho's surprise that he was delighted with his voice on the microphone. Still in 1935, it did military service in the Shot of War nº 284.
In 1937, he moved to Rio de Janeiro, traveling in Ita, a small passenger ship, with the intention of studying journalism and working with drawing. He managed, through a relative, to publish some drawings in the magazine "The Cruise". He received advice to pursue a singing career. It was presented to the director of Radio Tupi, Teófilo de Barros Filho, who was pleased by his voice and hired him for 30 thousand reis. In 1939, he met his future wife, singer Stella Maris, when she sang Noel Rosa's "Ultimate Desire" on a national radio program.
In 1940, he married Adelaide Tostes, the true name of singer Stella Maris. The couple had three children: Dinair (Nana, 1941), Dorival (Dori, 1943) and Danilo Cândido (1948), who would also become great names in Brazilian popular music. In 1943, he lost his mother. That same year, he began to attend the drawing course at the School of Fine Arts in Rio de Janeiro. In 1953, he inaugurated the Dorival Caymmi Square in Itapoã. Two years later, he moved with his family to São Paulo, living there for about a year. Caymmi has six grandchildren, Stella Teresa, Denise Maria and João Gilberto (children of Nana), João Vítor (son of Dori) and Juliana and Gabriel (Danilo's children).
In 1968, he won from the Government of Bahia a house on Ondina Beach, in recognition of its importance for Brazilian culture. In 1972, he was awarded in the Itamaraty Palace (Brasília) with the commendation of the Order of Rio Branco, in Official Degree. He was also awarded the commendation of the Order of Merit of Bahia.
In 1984, he received, in commemoration of the 70th anniversary, countless honors, such as: the edition of a double CD and an album of drawings sponsored by Funarte (Rio de Janeiro); The granting of the commendation of the "Ordre des arts et des lettres de France"; The granting of the Order of Judicial Labor Merit (Brasilia) and the granting of the title of Honorary Doctor of the Federal University of Bahia (Salvador). In 1985, it inaugurated Dorival Caymmi Avenue in the Bahia capital. In 2001, squandering joviality in its almost 90 years, returned to the successful charts composing for television. Fighting kidney cancer since 1999, he died of kidney failure and multiple organ failure at his home in the Rio de Janeiro neighborhood of Copacabana, where he had been hospitalized since December 2007. His body was veiled at the City Hall of Rio de Janeiro with the presence of Relatives and friends, among which countless musicians. About him, President Luis Inácio Lula da Silva said: "He is one of the founders of Brazilian popular music, the patriarch of a lineage of talented musicians. His prairie songs and his samba songs are a patrimony of national culture. Innovated as a composer, musician and singer. His music is a complete translation of BAHIA."

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

Nenhum comentário:

Postar um comentário