segunda-feira, 3 de julho de 2017

Garoto - Todas as gravações desse gênio.

Garoto foi um músico multi-instrumentista, dominando também o banjo, cavaquinho, bandolim, violão tenor, guitarra elétrica, havaiana, portuguesa, além de compor e fazer arranjos para estes instrumentos.
Foi um dos maiores violonistas brasileiros de todos os tempos, sendo influência para músicos do calibre de João Gilberto, Raphael Rabello,Dino 7 Cordas.
Começou a carreia bastante cedo, com apenas 11 anos de idade, o que lhe rendeu o apelido de "O Moleque do Banjo" e posteriormente Garoto. No final de 1952, a partir do programa "Música em Surdina", da Rádio Nacional, o diretor musical Paulo Tapajós formou com Fafá, Garoto e Chiquinho do Acordeom o Trio Surdina 1.
Gravou com artistas do calibre de Carmen Miranda, Dorival Caymmi, Ary Barroso.
Faleceu em 1955 de ataque cardíaco quando planejava uma excursão à Europa.

Boy was a multi-instrumentalist musician, also dominating the banjo, ukulele, mandolin, tenor guitar, electric guitar, Hawaiian, Portuguese, and compose and make arrangements for these instruments.
It was one of the greatest Brazilian guitarists of all time, and influence for caliber musicians João Gilberto, Raphael Rabello, Dino 7 strings.
Began carries quite early, with only 11 years of age, which earned him the nickname "The Banjo Molech" and later Boy. At the end of 1952 from the "Music Surdina" program of the National Radio, the music director Paulo Tapajós graduated with Fafa, Boy and Chiquinho of the accordion Trio Surdina 1.
He recorded with the caliber of artists of Carmen Miranda, Dorival Caymmi, Ary Barroso.
He died in 1955 of a heart attack when I planned a trip to Europe.

Trio Surdina - "Todas gravações/All recordings"


Trio instrumental composto por:
Anibal Augusto Sardinha - o Garoto (violão) - 28/6/1915 - São Paulo, SP - 3/5/1955 - Rio de Janeiro, RJ 
Romeu Seibel - o Chiquinho (acordeão) - 7/11/1928 - Santa Cruz do Sul, RS - 13/2/1993 - Rio de Janeiro, RJ
Rafael Lemos Junior - o Fafá Lemos - Violino - 19/2/1921 - Rio de Janeiro, RJ - 18/10/2004 - Rio de Janeiro, RJ

O trio surgiu em 1952, no programa "Música em Surdina",  apresentado por Paulo Tapajós, contando com Fafá Lemos no violino, Garoto, ao violão e Chiquinho, no acordeom. Em 1953, gravou os discos "Trio Surdina toca Ary Barroso” e  "Trio Surdina”. 
Em 1955, lançou na Musidisc seis discos em 78 rpm incluindo as músicas "Nem eu"; "O que é que a baiana tem" e "O mar", de Dorival Caymmi; "Fita amarela"; "Três apitos" e "Com que roupa", de Noel Rosa e "Rio de Janeiro", "Inquietação" e "No tabuleiro da baiana", de Ary Barroso. As músicas de Noel Rosa, Ary Barroso e Dorival Caymmi gravadas em 78 rpm foram recolhidas no LP "Trio Surdina interpreta Dorival Caymmi, Ary Barroso e Noel Rosa". Em 1956, o Trio gravou "Meu limão meu limoeiro", de motivo popular; "Favela", de Hekel Tavares e Joraci Camargo; "Terra seca", de Ary Barroso e "Babalu", de Lecuona. No mesmo ano, gravou "Felicidade", de Garoto e Haroldo Barbosa; "Joãozinho boa pinta", de Haroldo Barbosa e Geraldo Jacques; "João Valentão", de Dorival Caymmi e "O relógio da vovó", de autoria do trio. No seguinte, gravou o samba "Molambo", de Jaime Florence e Augusto Mesquita e o beguine "Maria-la-ô", de Lecuona. Também no mesmo ano foi lançado o LP "Ouvindo trio Surdina voluma 3", que trazia algumas músicas já gravadas anteriormente e outras gravadas para o LP como "Porque brilham teus olhos", de Fernando César.
O Trio teve carreira curta porém de grande produtividade e foi considerado como precursor do sambalanço e da bossa nova. O fim do trio foi precipitado pela morte prematura do violonista Garoto, embora muitas gravações somente fossem lançadas após o seu falecimento, mais uma prova da vitalidade e grande capacidade de trabalho do trio. Em 2003, foi homenageado com uma recriação do trio que contou com Henrique Cazes no violão, Marcos Nimrichter no acordeom e Nicolas Krassic no violino, que se apresentou com a cantora Claudette Soares em show no Centro Cultural Banco do Brasil no Rio de Janeiro.

Instrumental trio composed by:
Anibal Augusto Sardinha - the Boy (guitar) - 28/6/1915 - São Paulo, SP - 3/5/1955 - Rio de Janeiro, RJ
Romeu Seibel - the Chiquinho (accordion) - 7/11/1928 - Santa Cruz do Sul, RS - 2/13/1993 - Rio de Janeiro, RJ
Rafael Lemos Junior - Fafá Lemos - Violin - 19/2/1921 - Rio de Janeiro, RJ - 18/10/2004 - Rio de Janeiro, RJ

The trio appeared in 1952, in the program "Music in Surdina", presented by Paulo Tapajós, counting on Fafá Lemos on the violin, Garoto on the guitar and Chiquinho on the accordion. In 1953, he recorded the records "Trio Surdina plays Ary Barroso" and "Trio Surdina".
In 1955, he released on Musidisc six albums at 78 rpm including the songs "Nem eu"; "What does Bahia have" and "O Mar", by Dorival Caymmi; "Yellow tape"; "Three whistles" and "Com que roupa", by Noel Rosa and "Rio de Janeiro", "Restlessness" and "No tray de baiana" by Ary Barroso. The songs of Noel Rosa, Ary Barroso and Dorival Caymmi recorded at 78 rpm were collected on LP "Trio Surdina interprets Dorival Caymmi, Ary Barroso and Noel Rosa". In 1956, the Trio recorded "My Lemon My Lemon Tree", of popular motif; "Favela", by Hekel Tavares and Joraci Camargo; "Dry Land" by Ary Barroso and "Babalu" by Lecuona. In the same year, he recorded "Felicidade", by Garoto and Haroldo Barbosa; "Joãozinho boa pint" by Haroldo Barbosa and Geraldo Jacques; "João Valentão" by Dorival Caymmi and "The Grandma's Clock", by the trio. In the following, he recorded the samba "Molambo" by Jaime Florence and Augusto Mesquita and the beguine "Maria-la-ô" by Lecuona. Also in the same year was released the LP "Listening trio Surdina voluma 3", which brought some songs previously recorded and others recorded for the LP as "Why shine your eyes", by Fernando César.
The Trio had a short career but of great productivity and was considered as precursor of the sambalanço and bossa nova. The end of the trio was precipitated by the premature death of the guitarist Garoto, although many recordings were only released after his death, further evidence of the trio's vitality and hard work. In 2003, he was honored with a re-creation of the trio that featured Henrique Cazes on guitar, Marcos Nimrichter on the accordion and Nicolas Krassic on violin, who performed with singer Claudette Soares on a show at the Banco do Brasil Cultural Center in Rio de Janeiro.

LEIA MAIS EM/READ MORE AT:
http://dicionariompb.com.br/trio-surdina/dados-artisticos

LINK

sexta-feira, 30 de junho de 2017

João Bosco - Discografia (ATUALIZADO)


João Bosco de Freitas Mucci, mais conhecido como João Bosco,
(Ponte Nova, 13 de julho de 1946) é um cantor, violonista
e compositor brasileiro.
Começou a tocar violão aos doze anos, incentivado por uma
família repleta de músicos. Alguns anos depois, iniciou a
Faculdade de Metalurgia em Ouro Preto. Apesar de não deixar
de lado os estudos, dedicava-se sobremaneira à carreira musical,
influenciado principalmente por gêneros como jazz e bossa nova e
pelo tropicalismo.
A primeira gravação saiu no disco de bolso do jornal O Pasquim:
Agnus Sei (1972). No ano seguinte, selou contrato com a gravadora RCA,
lançando o primeiro disco, que levava apenas seu nome. Em 1967 conheceu
Vinicius de Moraes, com o qual compôs as seguintes canções:
rosa-dos-ventos, Samba do Pouso e O mergulhador – dentre outras.
Em 1970 conheceu aquele que viria a ser o mais frequente parceiro,
com quem compôs mais de uma centena de canções: Aldir Blanc,
O mestre sala dos mares, O bêbado e a equilibrista, Bala com bala,
Kid cavaquinho, Caça à raposa, Falso brilhante, O rancho da goiabada,
De frente pro crime, Fantasia, Bodas de prata, Latin Lover,
O ronco da cuíca, Corsário, dentre muitas outras.
Em 1972 conheceu Elis Regina, que gravou uma parceria sua com Blanc:
Bala com Bala; a carreira deslanchou quando da interpretação da
cantora para o bolero Dois pra lá, dois pra cá.

João Bosco de Freitas Mucci, better known as John Bosco
(New Bridge, July 13, 1946) is a singer, guitarist
and Brazilian composer.
He began playing guitar at age twelve, encouraged by a
family full of musicians. A few years later, began
Faculty of Metallurgy in Ouro Preto. Although not leave
side of the studies, devoted himself much in the musical career,
mainly influenced by genres such as jazz and bossa nova and
by tropicalism.
The first recording was in the paper pocket disc The Quibbler:
Agnus Sei (1972). The following year, sealed contract with RCA Records,
releasing the first album, which only bore his name. In 1967 met
Vinicius de Moraes, with whom he composed the following songs:
rose of winds, the landing Samba and Diver - among others.
In 1970 he met one who would be the most frequent partner,
who composed more than a hundred songs: Anja Blanc,
The master room of the seas, the drunk and the tightrope walker, Bullet with bullet
Kid ukulele, fox hunting, bright False, The Ranch guava,
Facing pro crime, Fantasy, Silver Wedding, Latin Lover,
The roar of the opossum, Corsair, among many others.
In 1972 met Elis Regina, who recorded a partnership with your Blanc:
Bullet with Bullet; the career took off when the interpretation of

Two bolero singer to go, two over here.

COPIE O MAGNET LINK ABAIXO E COLE NO SEU PROGRAMA TORRENT PARA DOWNLOAD: 

03EC04173B0D6C1CBBED151C0D52F4D76A93ACFB

Jane Duboc - 16 Discos (ATUALIZADO)

Jane Duboc Vaquer
*16/11/1950 Belém, PA 

Cantora. Compositora. 
Destacou-se em sua cidade natal desde criança, não só como cantora mas também como esportista, tendo sido contemplada com muitas medalhas em competições estaduais de natação, voleibol, tênis e tênis de mesa. o que motivou a criação, pela Assembléia Legislativa de Belém, do prêmio "Jane Duboc Vaquer" de incentivo aos esportistas paraenses. Estudou piano e violão. Integrou, em Belém o conjunto Ilusão e, em Natal, o Quarteto das Tri, formado por tri-campeãs no esporte. Em 1970, viajou para os Estados Unidos, onde criou a Fane Jazz Band, em que atuava como vocalista e instrumentista.
Em 1971, defendeu a canção "No ano 83", de Sérgio Sampaio, no VI Festival Internacional da Canção (Rede Globo). 
De 1972 a 1976, morou nos Estados Unidos, onde estudou na Faculdade de Música da Universiade da Geórgia (orquestração, canto lírico, flauta e arte dramática), além de atuar como cantora, compositora e instrumentista, cantando em bares, boates, clubes e igrejas.
Em 1977, voltou para o Brasil, onde formou o Grupo Fein , que se apresentava cantando somente em inglês. Lançou o compacto "Pollution", cuja música, de sua autoria, foi gravada só em vocalise porque a letra foi vetada pela Censura. O disco foi produzido por Raul Seixas, com quem atuou em shows e gravações. Também nos anos 1970, integrou a Banda Veneno, do maestro Erlon Chaves, e o coral da Rede Globo, gravando várias aberturas de programas. Participou, também do disco "Linguinha", de Chico Anysio e gravou com o guitarrista norte-americano Jay Anthony Vaquer, com quem foi casada, o LP "Morning The Musicians" (RCA), que contou com a participação de Luiz Eça, Paulo Moura, Noveli e Bil French. Excursionou com Egberto Gismonti nos shows "Água e Vinho I e II", com quem gravou vocais e percussão no CD "Árvore". Ao lado de Sérgio Sampaio, interpretou, no VI Festival Internacional da Canção, a música "No ano 83". Gravou as trilhas sonoras do filme "Janaina" e da peça "Encontro no bar". Cantou músicas folclóricas regionais no LP "Acalantos brasileiros" e na série "Música popular do Norte", para o selo Marcus Pereira,. Compôs e gravou, com Guto Graça Melo, a trilha sonora do filme "Amor bandido", de Bruno Barreto. Ainda nos anos 1970, foi integrante da Zurama Jingles, gravando comerciais para a produtora de Ivan Lins, Eduardo Souto Neto, Tavito e Paulo Sergio Valle, com destaque para o comercial da Soletur Turismo, veiculado em rede nacional de Televisão. Fez parte da Rio Jazz Orquestra, de Marcus Spillman, cantando temas de Duke Ellington e outros nomes do jazz. Participou das gravações de discos dos grupos Os Motokas e Os Skates, ao lado de Claudinha Telles e do Grupo Roupa Nova, que na época atuava como Os Fanks. 
Em 1980, gravou seu primeiro disco solo, "Languidez", que contou com a participação de Toninho Horta, Djavan, Sivuca, Hélio Delmiro, Luis Avelar e Osvaldo Montenegro. No repertório, sua composição "Meu homem", além de canções como "Cachoeira" (Osvaldo Montenegro), "Manoel, o audaz" (Toninho Horta e Fernando Brant), que ganhou clipe no programa "Fantástico" (Rede Globo) e "Que outro dia amanheça" (Edson e Terezinha), que ocupou os primeiros lugares nas emissoras de rádio do país, entre outras. Participou do festival MPB-80 (Rede Globo), interpretando a canção "Saudade" (Nato Gomes), registrada no LP "MPB 80 - Vol. 2" (Som Livre). Integrou o grupo vocal Cantamor. Participou de vários especiais da Rede Globo, como os de Roberto Carlos e Fábio Jr., além dos infantis "Pirlimpimpim", "Arca de Noé - 2" e "Verde que te quero ver" (Paulinho Tapajós e Edmundo Souto), entre outros, cujas trilhas foram registradas em disco. Ainda na década de 1980, Jane Duboc percorreu o Brasil fazendo shows com Filó, Hélio Delmiro, Tunai, Aécio Flavio, Pery Ribeiro, Márcio Montarroyos, Toninho Horta e Miucha, além de Toquinho, com quem excursionou pelo país com o show "Doce vida", viajou pela Itália e gravou um disco em Milão. 
Em 1982, lançou o LP "Jane Duboc", que incluiu sua composição "Eu no sol" (c/ Osvaldo Montenegro) e as canções "Som pra sumir" (Gilberto Gil) e "Água" (Fátima Guedes), entre outras. Ainda nesse ano, participou do "MPB-Shell", classificando a música "Tentação" (Tunai e Sérgio Natureza).
Em 1983, interpretou a faixa "A valsa dos clowns" (Edu Lobo e Chico Buarque) no disco "O Grande Circo Místico". 
Em 1985, gravou o LP "Ponto de partida", que contou com a participação de Toquinho. 
Em 1986, apresentou-se para um público de 30.000 pessoas no show comemorativo do aniversário de Belo Horizonte (MG), realizado no Parque das Mangabeiras. 

Singer. Songwriter.
Stood out in his hometown as a child, not only as a singer but also as a sportsman and was awarded many medals in state competitions of swimming, volleyball, tennis and table tennis. what motivated the creation, by the Legislative Assembly of Bethlehem, the award "Jane Duboc Vaquer" incentive to Para athletes. He studied piano and guitar. Integrated in Bethlehem Illusion together and Christmas, the Quartet of Tri formed by tri-champions in the sport. In 1970, traveled to the United States, where he created the Fane Jazz Band, which acted as a vocalist and instrumentalist.
In 1971, he defended the song "In the year 83", Sérgio Sampaio, the VI International Song Festival (Rede Globo).
From 1972 to 1976 he lived in the United States, where he studied at the Faculty of Georgia Universiade Music (orchestration, classical singing, flute and drama), as well as acting as a singer, songwriter and instrumentalist, singing in bars, nightclubs, clubs and churches.
In 1977, he returned to Brazil, where he formed the Group Fein, who had only singing in English. Released the single "Pollution", whose music, of his own, was only recorded in vocalise because the letter was vetoed by censorship. The album was produced by Raul Seixas, who starred in concerts and recordings. Also in the 1970s, he joined the band Poison, the Erlon Chaves conductor, and the choir of Rede Globo, recording several openings programs. He also participated the album "Linguinha" Chico Anysio and recorded with the American guitarist Jay Anthony Vaquer, with whom she was married, the LP "The Morning Musicians" (RCA), which was attended by Luiz Eca, Paul Moura, Noveli and Bil French. Egberto Gismonti toured with the shows "Water and Wine I and II", with whom he recorded vocals and percussion on the CD "Tree". Beside Sérgio Sampaio, played in the VI International Song Festival, the song "In the year 83". He recorded the soundtrack of the movie "Janaina" and the play "Meeting at the bar." Sang regional folk songs on the LP "Brazilian Lullabies" and the series "popular North Music" for the label Marcus Pereira ,. Wrote and recorded, with Guto Graça Melo, the soundtrack of the film "Bandit Love" by Bruno Barreto. In the 1970s, was a member of Zurama Jingles, recording commercials for producer Ivan Lins, Eduardo Souto Neto, Tavito and Paulo Sergio Valle, especially the commercial Soletur Tourism, broadcast on national TV network. He was part of Rio Jazz Orchestra, Marcus Spillman, singing themes of Duke Ellington and other jazz greats. Participated in the disc recordings of groups Motokas and Skateboards, alongside Claudia Telles and New Clothing Group, which at the time served as the fanks.
In 1980, he recorded his first solo album, "Languishing" which was attended by Toninho Horta, Djavan, Sivuca, Helio Delmiro, Luis Avelar and Osvaldo Montenegro. The repertoire, his composition "My Man" as well as songs like "Waterfall" (Osvaldo Montenegro), "Manuel, the daring" (Toninho Horta and Fernando Brant), who won clip in the "Fantastic" (Globo) and " another day dawns "(Edson and Therese), which occupied the first places in the country radio stations, among others. Participated in the MPB-80 festival (Globo), interpreting the "Saudade" song (Nato Gomes), recorded in LP "MPB 80 - Vol. 2" (Free Sound). Joined the vocal group Cantamor. Participated in several special Rede Globo, such as Roberto Carlos and Fabio Jr., in addition to children "Pirlimpimpim", "Noah's Ark - 2" and "Green I want to see you" (Paulinho Tapajós and Edmundo Souto), among others whose tracks were recorded to disk. Even in the 1980s, Jane Duboc toured Brazil touring with Filo, Helio Delmiro, Tunai, Aetius Flavio, Pery Ribeiro, Marcio Montarroyos, Toninho Horta and Miucha, and Toquinho, with whom he toured the country with the show "Sweet life "traveled in Italy and recorded an album in Milan.
In 1982, he released the album "Jane Duboc," which included his composition "I in the sun" (c / Osvaldo Montenegro) and the songs "sound to disappear" (Gilberto Gil) and "Water" (Fátima Guedes), among others. That same year, participated in the "MPB-Shell", classifying the song "Temptation" (Tunai and Sergio Nature).
In 1983, the band played "The waltz of clowns" (Edu Lobo and Chico Buarque) on the album "The Great Mystical Circus".
In 1985, he recorded the LP "starting point", which was attended by Toquinho.
In 1986, he performed for an audience of 30,000 people in the commemorative show birthday Belo Horizonte (MG), held at the Mangabeiras Park.

Leia Mais/Read More:
http://www.dicionariompb.com.br/jane-duboc/dados-artisticos

LINK ATUALIZADO

Djavan - Discografia (ATUALIZADO)

Djavan Caetano Viana nasceu no dia 27 de janeiro de 1949 em Maceió AL.
Aos 16 anos de idade, começou a tocar violão. Dois anos depois, passou a integrar o grupo vocal Luz, Som, Dimensão (LSD), com o qual se apresentava em clubes, praças, igrejas e palanques, cantando e tocando músicas dos Beatles.
Em 1973, mudou-se para o Rio de Janeiro, iniciando carreira profissional como crooner da casa noturna Number One. Nessa época, foi contratado pela Som Livre como intérprete de outros autores em trilhas de novelas da TV Globo. Durante três anos, gravou músicas para "Os ossos do barão", "Super Manoela", "Fogo sobre terra" e "Gabriela". Atuou também como crooner da boate 706 (RJ).
Em 1975, participou do "Festival Abertura" (TV Globo), classificando sua canção "Fato consumado" em 2º lugar. Gravou, em seguida, seu primeiro disco, um compacto duplo contendo as canções "E que Deus ajude", "Um dia", "Rei do mar" e "Fato consumado", todas de sua autoria.
No ano seguinte, gravou seu primeiro LP, "A voz, o violão e a arte de Djavan", com produção de Aloysio de Oliveira e arranjos de Edson Frederico. O disco incluiu suas canções "Pára-raio", "Maria das Mercedes" e "Flor de liz", grande sucesso até hoje em seus shows. Apresentou-se novamente no 706, dessa vez como atração, fazendo temporada de sucesso durante três meses.
Em 1980, lançou o LP "Alumbramento", que registrou o grande sucesso da faixa "Meu bem querer", além de "A rosa" (em duo com Chico Buarque) e o samba "Aquele um".
No ano seguinte, gravou "Seduzir", com destaque para as canções "Açaí" e "Faltando um pedaço", também gravadas com grande sucesso por Gal Costa.
O disco seguinte, "Luz", que marca sua estréia no mercado internacional, foi gravado no Yamaha Studios em Los Angeles (EUA) e lançado, em 1982, pela CBS/Sony Music.
Em 1988, participou, com Ivan Lins e Patti Austin, do CD "Brazilian knights and a lady".
Lançou mais um disco, em 1989, com destaque para a faixa "Oceano", incluída na trilha sonora da novela "Top model" (TV Globo) e para "Curumim", que contou com a participação de Paco de Lucia. Nesse ano, foi apontado pela "Revista de Domingo" do "Jornal do Brasil" como Melhor Cantor do ano e "Oceano" foi considerada a Melhor Música do ano pela mesma publicação. Recebeu, ainda, o Troféu Rádio Globo, como destaque masculino. Partiu, em seguida, para uma bem sucedida turnê pela Europa.
Em 1992, lançou o CD "Coisa de acender", co-produzido com Ronnie Foster, que registra sua primeira parceria com Caetano Veloso, em "Linha do Equador".
Em 1996, lançou o CD "Malásia", destacando-se "Correnteza" (Tom Jobim e Luiz Bonfá) e "Sorri", versão de João de Barro para "Smile", clássico de Charlie Chaplin.
No ano seguinte, a Lumiar lançou o "Songbook Djavan".
Em 1998, gravou o CD "Bicho solto".
No ano seguinte, lançou "Djavan, ao vivo", álbum duplo gravado no Teatro João Caetano (RJ), com uma banda formada por Paulo Calasans (teclados), Carlos Bala (bateria), João Castilho (violão, guitarra e vocais), seu filho Max Viana (violão, guitarra e vocais) e André Vasconcellos (baixo e vocais). O disco atingiu a vendagem de mais de 700.000 cópias.
Em 2000, foi lançado o DVD "Djavan ao vivo".
Sobre sua obra, uma das mais privilegiadas do Brasil por cantores e músicos norte-americanos, o Maestro Quincy Jones se manifestou com uma única expressão: "Unbelievable!" ("Inacreditável!"). Em 2014, lançou o DVD “Rua dos Amores – ao vivo”, com inclusão do documentário “Um olhar íntimo”, com os bastidores do show. Ainda no mesmo ano, foi homenageado pela V Feira Literária de Marechal Deodoro, em Alagoas (AL). Ricardo Cravo Albin e Joaquim Ferreira dos Santos foram os convidados para falar sobre ele. Ao fim do evento, ele recebeu a Comenda FLIMAR da feira. Em 2015, teve a sua gravação da música “Alegre menina”, de Dorival Caymmi e Jorge Amado, incluída na coletânea “Teletema”, disco dedicado à temas de novela e composto por 17 faixas.

Djavan Caetano Viana was born on January 27, 1949 in Maceió AL.

At age 16, he started playing guitar. Two years later, he joined the vocal group Luz, Som, Dimensão (LSD), with which he performed in clubs, squares, churches and palanques, singing and playing Beatles songs.
In 1973, he moved to Rio de Janeiro, starting his professional career as a crooner for Number One nightclub. At that time, he was hired by Som Livre as an interpreter of other authors on TV Globo novels. For three years, she recorded songs for "Os osos do barão", "Super Manoela", "Fire on Earth" and "Gabriela". He also acted as crooner of nightclub 706 (RJ).
In 1975, he participated in the "Opening Festival" (TV Globo), classifying his song "Fato consumado" in 2nd place. He then recorded his first record, a double compact containing the songs "And God help", "One day", "King of the sea" and "Consummate fact", all of his authorship.
The following year, he recorded his first LP, "The voice, the guitar and the art of Djavan", with production by Aloysio de Oliveira and arrangements by Edson Frederico. The album included her songs "Pará-raio", "Maria das Mercedes" and "Flor de liz", great success until today in her shows. He performed again in 706, this time as an attraction, making a successful season for three months.
In 1980, he released the album "Alumbramento", which recorded the great success of the track "Meu bem querer", in addition to "A rosa" (duo with Chico Buarque) and samba "Aquele um".
The following year, he recorded "Seduzir", highlighting the songs "Açaí" and "Missing a Piece", also recorded with great success by Gal Costa.
The next album, "Luz", which marks its international debut, was recorded at Yamaha Studios in Los Angeles (USA) and released in 1982 by CBS / Sony Music.
In 1988, he participated, with Ivan Lins and Patti Austin, of the CD "Brazilian knights and a lady".
He released another album in 1989, with a special mention for the track "Oceano", included in the soundtrack of the soap opera "Top model" (TV Globo) and for "Curumim", with the participation of Paco de Lucia. In that year, it was named by the "Revista de Domingo" of "Jornal do Brasil" as Best Singer of the Year and "Oceano" was considered the Best Music of the Year by the same publication. He also received the Radio Globo Trophy, as a masculine highlight. He then left for a successful tour of Europe.
In 1992, he released the CD "Coisa de ignite", co-produced with Ronnie Foster, who recorded his first partnership with Caetano Veloso in "Linha do Equador".
In 1996, he released the CD "Malaysia", highlighting "Correnteza" (Tom Jobim and Luiz Bonfá) and "Sorri", João de Barro's version for "Smile", Charlie Chaplin's classic.
The following year, Lumiar released the "Djavan Songbook".
In 1998, he recorded the CD "Bicho solto".
The following year, he released "Djavan, live", a double album recorded at the Teatro João Caetano (RJ), with a band formed by Paulo Calasans (keyboards), Carlos Bala (drums), João Castilho (guitar, guitar and vocals) His son Max Viana (guitar, guitar and vocals) and André Vasconcellos (bass and vocals). The album has sold more than 700,000 copies.
In 2000, the DVD "Djavan live" was released.
About his work, one of the most privileged in Brazil by American singers and musicians, Maestro Quincy Jones manifested himself with a single expression: "Unbelievable!" ("Unbelievable!"). In 2014, he released the DVD "Rua dos Amores - live", including the documentary "A close look" with the backstage of the show. Also in the same year, he was honored by the 5th Literary Fair of Marechal Deodoro, in Alagoas (AL). Ricardo Cravo Albin and Joaquim Ferreira dos Santos were invited to talk about him. At the end of the event, he received the FLIMAR Commendation from the fair. In 2015, she had her recording of the song "Alegre Menina", by Dorival Caymmi and Jorge Amado, included in the "Teletema" collection, an album dedicated to the themes of soap opera and composed of 17 tracks.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:



quarta-feira, 3 de maio de 2017

Belchior - Discografia Completa.


* 26 de outubro de 1946, Sobral, Ceara
+ 30 de abril de 2017, Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul

Antônio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes cantor e compositor brasileiro. Foi um dos primeiros cantores de MPB do nordeste brasileiro a fazer sucesso nacional, em meados da década de 1970.
Durante sua infância no Ceará foi cantador de feira e poeta repentista.
Estudou música coral e piano com Acaci Halley. 
Foi programador de rádio em Sobral, e em Fortaleza começou a dedicar-se à música, após abandonar o curso de medicina.
Ligou-se a um grupo de jovens compositores e músicos, como Fagner, Ednardo, Rodger Rogério, Teti, Cirino entre outros, conhecidos como o Pessoal do Ceará.
De 1965 a 1970 apresentou-se em festivais de música no Nordeste.
Em 1971, quando se mudou para o Rio de Janeiro, venceu o IV Festival Universitário da MPB, com a canção Na Hora do Almoço, cantada por Jorge Melo e Jorge Teles, com a qual estreou como cantor em disco, um compacto da etiqueta Copacabana.
Em São Paulo, para onde se mudou, compôs canções para alguns filmes de curta metragem, continuando a trabalhar individualmente e às vezes com o grupo do Ceará.
Belchior estava distante dos palcos e da vida pública há dez anos. Há quatro, ele vivia na cidade de Santa Cruz do Sul, a cerca de 120 km de Porto Alegre. Foi onde morreu na noite de sábado (29/04/2017), aos 70 anos de idade.


Antonio Carlos Gomes Belchior Fontenelle Fernandes Brazilian singer and composer. It was one of the first MPB singers in northeastern Brazil to make national success in the mid-1970s.
During his childhood in Ceará was cantador fair and repentista poet.
He studied choral music and piano with Acaci Halley.
It was radio programmer in Sobral and Fortaleza began to devote himself to music, after leaving medical school.
It was connected to a group of young composers and musicians, such as Fagner, Ednardo, Rodger Rogério, Teti, Cirino among others, known as the Staff Ceará.
From 1965 to 1970 he performed in music festivals in the Northeast.
In 1971, when he moved to Rio de Janeiro, won the IV University Festival of MPB, with the song At Lunch Time, sung by Jorge Melo and Jorge Teles, with which debuted as disk singer, a compact of Copacabana label .
In São Paulo, where he moved, he composed songs for some short films while continuing to work individually and sometimes with the Ceará group.
Belchior was far from the stage and public life ten years ago. There were four, he lived in the city of Santa Cruz do Sul, about 120 km from Porto Alegre. It was where he died on Saturday night (04/29/2017) at the age of 70.


quarta-feira, 5 de abril de 2017

Luiz Gonzaga - Discografia Completa

Luiz Gonzaga do Nascimento, nasceu no dia 13 de dezembro de 1912 na cidade de Exu - PE.
Em 1926, com apenas 14 anos, já se apresentava profissionalmente, tocando em festas.
Em 1939, ao completar dez anos de exército, teve de dar baixa, pois o regulamento não permitia a permanência de soldados com mais de 10 anos de serviço. No mesmo ano embarcou para o Rio de Janeiro, de onde pegaria um navio de volta para Pernambuco. No Rio de Janeiro conheceu o ex-marinheiro e violonista Xavier Pinheiro, que tocava na noite e apresentava-se em programas na Rádio Vera Cruz. Passou a apresentar-se no Bar Espanhol, no Mangue, zona de baixa prostituição carioca, além de tocar em festas de subúrbio, bares da Lapa e também nas docas, onde corria o chápeu para arrecadar uns trocados. Começou a aprimorar seu repertório tocando músicas da moda, como tangos, valsas e foxtrotes.
No início da década de 1940 comprou uma sanfona de 120 baixos e foi apresentado por Xavier Pinheiro a Antenógenes Silva, o mais famoso acordeonista da época, com quem começou a estudar.
No Rio de Janeiro, depois de algum tempo tocando em bares no Mangue e, em seguida, na Lapa, começou a freqüentar os programas de calouros "Calouros em desfile" de Ary Barroso na Rádio Tupi e "Papel carbono" de Renato Murce, na Rádio Clube. O sucesso nos programas de calouros entretanto não chegava e Gonzaga continuou a apresentar-se nos bares do Mangue e da Lapa.
Em 1944 teve suas primeiras composições gravadas por outra artista, a cantora Carmem Costa, que gravou "Xamego", de sua autoria, e "A mulher do Lino", composta em parceria com Miguel Lima. No mesmo ano gravou, entre outras,o choro "Pingo namorando", o xamego "Fazendo intriga" e a valsa "Vanda", todas de sua autoria. Em 1945 teve gravadas suas primeiras parcerias com Miguel Lima, "Dezessete e setecentos" e o xamego "Xamego da Guiomar", por Manezinho Araújo. No mesmo ano, Gonzaga gravou os primeiros discos como cantor. O primeiro continha a mazurca "Dança da Mariquinha", com música de sua autoria e letra de Miguel Lima. Seu primeiro sucesso como cantor foi a mazurca "Cortando pano", composta em parceria com Miguel Lima e J. Portella, que afirmou Gonzaga como cantor.
Ainda em 1945 conheceu aquele que seria talvez o seu principal parceiro musical, o advogado cearense Humberto Teixeira.
Em 1946 Gonzaga provocaria uma revolução na música popular brasileira ao lançar um novo gênero no mercado, o baião, uma estilização e adaptação de ritmos ouvidos por ele em sua infância e adolescência. A composição de lançamento, um verdadeiro manifesto do novo gênero, foi "Baião", feita em parceria com Humberto Teixeira e lançada pelo grupo vocal "Quatro Azes e Um Coringa" pela Odeon, com acompanhamento do próprio Gonzaga na sanfona. O novo gênero mudou o panorama musical brasileiro e impôs-se como o mais importante até o surgimento da Bossa Nova em fins dos anos 1950. Ainda em 1946, Gonzaga lançou, o xote "Meu pé de serra", além da polca "Pagode russo". Em 1947 gravou de sua autoria e Humberto Teixeira a toada "Asa branca", um de seus maiores sucessos e uma das músicas mais conhecidas e veneradas da música popular brasileira, regravada dezenas de vezes ao longo das décadas, entre outros por Altamiro Carrilho, Severino Januário, Sivuca e Rosinha de Valença, César do Acordeon, Trio Melodia, Dominguinhos, Julião da viola, Fagner, Téo Azevedo, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Carmélia Alves e Quinteto Violado. Com o sucesso retumbante de "Asa Branca" foi convidado a participar do filme "Esse mundo é um pandeiro" de Watson Macedo. Em 1948 lançou apenas um disco, cantando "A moda da mula preta" de Raul Torres e a polca "Firim firim firim", parceria com Antonio Nogueira. No mesmo ano casou-se com Helena Cavalcanti. Em 1949 Gonzaga era o principal astro da música popular brasileira e lançou uma série de sucessos de sua parceria com Humberto Teixeira: a polca "Lorota boa", que entrou na comédia musical "O mundo se diverte" da Atlântida; o xote "Mangaratiba", que foi incluída na comédia musical "Estou aí", da Cinédia; o baião "Juazeiro" e a toada "Légua tirana", além de "Baião", que finalmente recebeu gravação de seu autor.
Entre 1979 e 1984 engajou-se na luta contra a seca que assolou o Nordeste brasileiro naquele período.
Em 1980 foi o indicado do Nordeste para cantar para o Papa João Paulo II em sua visita ao Brasil. No início da década participou da temporada "Sabor Brasil", ao lado de Clara Nunes, Altamiro Carrilho, Waldir Azevedo, João Nogueira e João Bosco.
Em 6 de junho de 1989 participou de seu último show, uma homenagem que artistas de todo o Brasil lhe prestaram no Teatro Guararapes em Recife. Estava com a agenda de São João repleta quando, em 21 de junho, foi internado no Hospital Santa Joana no Recife, vindo a falecer no dia 2 de agosto daquele ano.

Luiz Gonzaga do Nascimento, was born on December 13, 1912 in the city of Exu - PE.
In 1926, at the age of 14, he was already performing professionally, playing at parties.
In 1939, when completing ten years of army, had to lower, because the regulation did not allow the stay of soldiers with more than 10 years of service. In the same year he embarked for Rio de Janeiro, from where he would take a ship back to Pernambuco. In Rio de Janeiro he met the former sailor and guitarist Xavier Pinheiro, who played in the evening and performed in programs on Radio Vera Cruz. He started performing at the Spanish Bar in the Mangue, a zone of low-level prostitution in Rio, as well as playing in suburban parties, Lapa bars and also on the docks, where he ran the tea to collect some change. He began to improve his repertoire by playing trendy songs, like tangos, waltzes and foxtrotes.
In the early 1940s he bought an accordion of 120 basses and was presented by Xavier Pinheiro to Antenogenes Silva, the most famous accordionist of the time, with whom he began to study.
In Rio de Janeiro, after some time playing in bars in the Mangue and then in Lapa, he began to attend the programs of freshmen "parade" by Ary Barroso on Radio Tupi and "Carbon paper" by Renato Murce, in Radio Club. The success in the programs of freshmen however did not arrive and Gonzaga continued to present itself in the bars of Mangue and of Lapa.
In 1944 she had her first compositions recorded by another artist, the singer Carmem Costa, who recorded "Xamego", of her own, and "The Woman of Lino", composed in partnership with Miguel Lima. In the same year he recorded, among others, the choro "Pingo dating", the xamego "Fazendo intriga" and the waltz "Vanda", all of his own. In 1945 he recorded his first partnerships with Miguel Lima, "Seventeen and seven hundred" and the Xamego "Xamego da Guiomar" by Manezinho Araújo. In the same year, Gonzaga recorded the first albums as a singer. The first contained the mazurca "Dança da Mariquinha", with music of its authorship and lyrics by Miguel Lima. His first success like singer was the mazurca "Cutting cloth", composed in partnership with Miguel Lima and J. Portella, that affirmed Gonzaga like singer.
Still in 1945 he met the one who would perhaps be his main musical partner, Ceará lawyer Humberto Teixeira.
In 1946 Gonzaga would provoke a revolution in Brazilian popular music by launching a new genre in the market, the baião, a stylization and adaptation of rhythms heard by him in his childhood and adolescence. The composition of the release, a true manifesto of the new genre, was "Baião", made in partnership with Humberto Teixeira and released by the vocal group "Four Azes and A Joker" by Odeon, with accompaniment of the own Gonzaga in the accordion. The new genre changed the Brazilian music scene and became the most important until the emergence of Bossa Nova in the late 1950s. Still in 1946, Gonzaga launched the xote "Meu pé de serra", in addition to the polka "Pagode russo ". In 1947, he recorded the play "White Wing", one of his greatest hits and one of the most well-known and revered Brazilian popular music, re-recorded dozens of times over the decades, among others by Altamiro Carrilho, Severino Januário, Sivuca and Rosinha de Valença, César do Acordeon, Trio Melodia, Dominguinhos, Julião da Viola, Fagner, Téo Azevedo, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Carmélia Alves and Quinteto Violado. With the resounding success of "White Wing" was invited to participate in the film "This world is a pandeiro" by Watson Macedo. In 1948 he released only one album, singing "The fashion of the black mule" of Raul Torres and the polka "Firim firim firim", partnership with Antonio Nogueira. In the same year she married Helena Cavalcanti. In 1949 Gonzaga was the main Brazilian popular music star and released a series of successes of his partnership with Humberto Teixeira: the polka "Lorota boa", which entered the musical comedy "The world has fun" of Atlantis; The xote "Mangaratiba", that was included in the musical comedy "I am there", of Cinédia; The baião "Juazeiro" and the toada "Légua tirana", besides "Baião", that finally received recording of its author.
Between 1979 and 1984 it engaged in the fight against the drought that devastated the Brazilian Northeast in that period.
In 1980 he was the nominee of the Northeast to sing for Pope John Paul II during his visit to Brazil. At the beginning of the decade he participated in the season "Sabor Brasil", along with Clara Nunes, Altamiro Carrilho, Waldir Azevedo, João Nogueira and João Bosco.
On June 6, 1989 he participated in his last concert, a tribute that artists from all over Brazil gave him at the Teatro Guararapes in Recife. He had his schedule filled when, on June 21, he was hospitalized at the Hospital Santa Joana in Recife, and died on August 2 of that year.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:


MAGNET LINK:  A25FA1601DB3DA37DF35E5B7C4B3AF958B6C3E11

segunda-feira, 13 de março de 2017

Elizeth Cardoso - Discografia Completa

Elizeth Moreira Cardoso nasceu no dia 16 de julho de 1920 no subúrbio de São Francisco Xavier, próximo ao Morro da Mangueira. Oriunda de uma família bastante humilde, tinha o sonho de ser artista, e era levada pelo pai para cantar pelos bairros da zona norte carioca, cobrando ingresso (10 tostões) das outras crianças para ouvi-la cantar os sucessos de Vicente Celestino. O pai, Jaime Moreira Cardoso, era seresteiro e tocava violão, e levava a filha em suas apresentações. A mãe de Elizeth, Maria José Pilar, era dona de casa e gostava de cantar. Elizeth possuía cinco irmãos: Jaimira, Enedina, Nininha, Diva e Antônio. A família frequentava casa de sambas e festivais de música popular na cidade, além de conviver com grandes músicos na casa de Tia Ciata, amiga de seus pais e de seus tios Ivone e Pedro. Quando criança, também colocava em prática seu lado escritora e atriz, e costumava escrever peças e organizar teatros para as crianças da vizinhança, e sempre tendo como repertório de suas criações as músicas de Vicente Celestino.
A vida de Elizeth começou a mudar aos dezesseis anos, quando ela teve sua primeira festa de aniversário. Nessa época sua família havia se mudado para uma pequena casa na Rua do Rezende, nº 87, Centro do Rio. Com difíceis condições financeiras, a família foi morar de favor com a tia Ivone e o marido dela, Pedro. Sua festa fora realizada nesta casa. Para a festa, foram convidados vários amigos de seu pai e de seu tio, também músicos: Pixinguinha, Dilermando Reis, Jacob do Bandolim. Seu tio pedro a apresentou a Jacob, que pediu que a jovem cantasse para todos na festa, e mesmo muito tímida, concordou, e todos gostaram muitíssimo. Jacob, impressionado com a voz da adolescente, que mesmo sem aula já era uma voz sem erros, profissional, resolveu convidá-la para fazer um teste na Rádio Guanabara e ver se o dono aprovava. Elizeth fora no dia seguinte, e com louvor, conseguira passar na prova e eliminar diversas candidatas: Venceu a prova em primeiro lugar, e assim sua carreira deslanchou: Com apenas um disco gravado, começou a ganhar um bom dinheiro e ajudar mais sua família.
Além do choro, Elizeth consagrou-se como uma das grandes intérpretes do gênero samba-canção (surgido na década de 1930), ao lado de Maysa, Nora Ney, Dalva de Oliveira, Ângela Maria e Dolores Duran. O gênero, comparado ao bolero, pela exaltação do tema amor-romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado, foi chamado também de dor-de-cotovelo ou fossa. O samba canção antecedeu o movimento da bossa nova (surgido ao final da década de 1950, 1957).
Elizeth migrou do choro para o samba-canção e deste para a bossa nova gravando em 1958 o LP Canção do Amor Demais.
Nos anos 1960 apresentou o programa de televisão Bossaudade na TV Record. Em 1968 apresentou-se num espetáculo que foi considerado o ápice da carreira, com Jacob do Bandolim, Época de Ouro e Zimbo Trio, no Teatro João Caetano, em benefício do Museu da Imagem e do Som. Considerado um encontro histórico da música popular brasileira, no qual foram ovacionados pela platéia; long-plays (Lps) foram lançados em edição limitada pelo MIS.
Em 1987 recebeu o convite para uma excursão musical no Japão. Após o término dos espetáculos, ficou algumas semanas passeando pelo país, quando, hospedada no seu hotel, Elizeth se sentiu muito mal, com tonteiras, dores estomacais, até que vomitou sangue e desmaiou. Um dos funcionários do hotel a achou caída, e a cantora acabou sendo internada as pressas. Rapidamente, após uma endoscopia ultra moderna e rápida, os médicos japoneses diagnosticaram um câncer no estômago, ou seja, um carcinoma gástrico, que obrigou a cantora a uma cirurgia emergencial, para conter o sangramento e diminuir o tumor. Seus filhos foram visitá-la, e após algumas semanas internada, pôde voltar ao Brasil, acompanhada deles. Ela passou a se tratar com um gastroenterologista. Apesar tomar medicamentos e fazer os mais avançados tratamentos contra a doença, o tumor havia diminuído mas pouco tempo depois havia crescido mais, e se espalhado, e Elizeth passou os últimos três anos de vida a base de muitos medicamentos, havia sofrido muita perda de peso, além de fortes dores estomacais e abdominais, mas não deixava se abater, apesar de descansar mais, se alimentar melhor e cancelar muitos shows, não conseguia ficar longe do que amava: A música. Quando conseguia ter forças para andar, com ajuda, subia ao palco e fazia shows, e muitas vezes não conseguia ir até o final, mas o público era compreensivo. Não suportando mais tanto sofrimento, e já internada, a cantora faleceu às 12h28min, do dia 7 de maio de 1990, na Clínica Bambina, no bairro de Botafogo. Elizeth Cardoso foi velada no Teatro João Caetano, onde compareceram milhares de fãs. Foi sepultada, ao som de um surdo portelense, no Cemitério da Ordem do Carmo, no Caju.
Elizeth Cardoso lançou mais de 40 LPs no Brasil e gravou vários outros em Portugal, Venezuela, Uruguai, Argentina e México.

Elizeth Moreira Cardoso was born on July 16, 1920 in the suburb of San Francisco Xavier, near Mangrove Hill. She came from a rather humble family, had the dream of being an artist, and was taken by her father to sing in the districts of the north of Rio, charging the children (10 pennies) to listen to her singing the successes of Vicente Celestino. His father, Jaime Moreira Cardoso, was a serenade and played guitar, and took the daughter in his performances. Elizeth's mother, Maria José Pilar, was a housewife and liked to sing. Elizeth had five brothers: Jaimira, Enedina, Nininha, Diva and Antônio. The family frequented the house of sambas and popular music festivals in the city, besides living with great musicians in the house of Tia Ciata, friend of her parents and her uncles Ivone and Pedro. As a child, she also put into practice her writing and actress side, and used to write plays and organize theaters for the children of the neighborhood, and always having as repertoire of her creations the songs of Vicente Celestino.
Elizeth's life began to change at the age of sixteen, when she had her first birthday party. At that time his family had moved to a small house in Rua do Rezende, nº 87, Downtown Rio. With difficult financial conditions, the family went to live with Aunt Ivone and her husband, Pedro. His party had been held in this house. For the party, several friends of his father and his uncle, also musicians: Pixinguinha, Dilermando Reis, Jacob do Bandolim were invited. Her uncle Pedro introduced her to Jacob, who asked her to sing for everyone at the party, and even very shy, she agreed, and everyone liked it very much. Jacob, impressed with the voice of the teenager, who even without class was already a voice without errors, professional, decided to invite her to do a test at Radio Guanabara and see if the owner approved. Elizeth had gone the next day, and with praise, had managed to pass the test and eliminate several candidates: She won the race in the first place, and so her career started: With only one record she started earning good money and helping her family more.
In addition to the choro, Elizeth was consecrated as one of the great interpreters of the samba-song genre (emerged in the 1930s), along with Maysa, Nora Ney, Dalva de Oliveira, Ângela Maria and Dolores Duran. The genus, compared to the bolero, by the exaltation of the love-romantic theme or by the suffering of an unrealized love, was also called elbow-pain or fossa. The samba song preceded the bossa nova movement (which emerged in the late 1950s, 1957).
Elizeth migrated from the choro to the samba-song and from this to the bossa nova recording in 1958 the LP Song of the Love Too Much.
In the 1960s he presented the Bossaudade television program on TV Record. In 1968 he appeared in a show that was considered the culmination of his career, with Jacob do Bandolim, Época de Ouro and Zimbo Trio, at the João Caetano Theater, for the benefit of the Museum of Image and Sound. Considered a historical meeting of Brazilian popular music , In which they were cheered by the audience; Long-plays (Lps) were released in limited edition by MIS.
In 1987 she was invited to a musical excursion in Japan. After the show, she spent a few weeks in the country, when, at her hotel, Elizeth felt very ill, dizzy, stomach ache, until she vomited blood and passed out . One of the hotel staff found her fallen, and the singer was rushed to the hospital. Soon, after an ultra-modern and fast endoscopy, Japanese doctors diagnosed a cancer in the stomach, that is, a gastric carcinoma, that forced the singer to emergency surgery, to contain the bleeding and to diminish the tumor. Her children went to visit her, and after a few weeks she was able to return to Brazil, accompanied by them. She went on to deal with a gastroenterologist. Despite taking medications and making the most advanced treatments against the disease, the tumor had subsided but shortly afterwards it had grown more, and spread, and Elizeth spent the last three years of life on many medications, had suffered a lot of weight loss As well as severe abdominal and stomach pains, but he did not let himself down, although he rested more, fed better and canceled many shows, he could not stay away from what he loved: The music. When I could get the strength to walk, with help, I would go onstage and play shows, and often I could not make it to the end, but the audience was understanding. No longer suffering so much suffering, and already hospitalized, the singer died at 12:28 pm on May 7, 1990, at the Bambina Clinic, in the Botafogo neighborhood. Elizeth Cardoso was veiled at the João Caetano Theater, where thousands of fans attended. She was buried, to the sound of a deaf person from Portela, in the Cemetery of the Order of Carmo, in Caju.
Elizeth Cardoso has released more than 40 LPs in Brazil and recorded several others in Portugal, Venezuela, Uruguay, Argentina and Mexico.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

terça-feira, 7 de março de 2017

Victor Assis Brasil - Discografia Completa

Nasceu no Rio de Janeiro no dia 28 de agosto de 1945.
Nascido em uma família de classe média do Rio de Janeiro, Victor, desde pequenino, sempre se mostrara interessado por música. Seus familiares, percebendo tal afeição pela arte, sempre o incentivaram e garantiram a ele um ambiente propício a sua educação musical. Cresceu portanto ouvindo boa música, do clássico ao jazz. Seus primeiros instrumentos foram uma gaita e uma bateria, que ganhara ainda criança. Com eles, Victor começou a tocar e a praticar as músicas que ouvia, sempre tendo o jazz como preferência. Mas foi só aos dezessete anos que ganhou de uma tia o instrumento que o consagraria, um saxofone alto.
Um novo mundo se abrira para Victor. Ele realmente gostava de sua gaita, e sempre copiava os solos dos discos de jazz que ouvia. Mas ela era muito limitada, sem recursos. Seu novo instrumento, por outro lado, o saxofone, era o mesmo utilizado pelos seus ídolos. Logo Victor começou a praticá-lo incansavelmente e mesmo sem nunca ter estudado formalmente música, começou a apresentar-se ao público, seja na escola onde estudava ou nas festas dos amigos. Em 1963, faz a sua primeira gravação, amadora, na casa de um amigo. Em 1964 passa a frequentar as boates da zona sul, onde dava "canjas" nas jam sessions, prática comum na década de 60. Sob forte influência da bossa-nova e do jazz, Victor começa a desenvolver-se como um exímio improvisador, tanto que apenas um ano depois já estreava como profissional, na inauguração do "Clube de Jazz e Bossa" em Copacabana.
Irmão gêmeo do pianista clássico João Carlos Assis Brasil, começou a tocar profissionalmente em 1965, indo 1969 para os Estados Unidos estudar na Berklee College of Music, e conclui seus estudos no ano de 1973. Lá tocou ao lado de Dizzy Gillespie, Jeremy Steig, Richie Cole, Clark Terry, Chick Corea, Ron Carter, Bob Mover entre outros.
Em 1974 muda-se definitivamente para o Brasil. Retoma sua carreira profissional, empreendendo viagens pelos diversos estados. Grava um disco em concerto, no Teatro da Galeria. Em 1976 apresenta a composição Suite para Sax Soprano e Cordas, de sua autoria, acompanhado pela Orquestra Sinfônica Nacional da Rádio MEC, sob a batuta do maestro Marlos Nobre. Em 1977 participa dos concertos no Museu de Arte Moderna e na Concha Verde, no Rio de Janeiro. No mesmo ano compõe trilhas sonoras para o cinema e televisão. Em 1978 é o destaque do Festival de São Paulo, deixando platéia, críticos e músicos impressionados.
Morreu muito jovem no Rio de Janeiro no dia 14 de abril de 1981, aos trinta e cinco anos, devido a uma doença circulatória rara e grave, a poliarterite nodosa.

He was born in Rio de Janeiro on August 28, 1945.
Born in a middle-class family in Rio de Janeiro, Victor, from an early age, had always been interested in music. His family, perceiving this affection for art, always encouraged and guaranteed him an environment conducive to his musical education. He grew up listening to good music, from classical to jazz. His first instruments were a harmonica and a drums, which he had won as a child. With them, Victor began to play and practice the songs he listened to, always having jazz as his preference. But it was only at the age of seventeen that he won from an aunt the instrument that would consecrate him, a loud saxophone.
A new world had opened up for Victor. He really liked his harmonica, and always copied the solos of the jazz records he heard. But she was very limited, without resources. His new instrument, on the other hand, the saxophone, was the same used by his idols. Soon Victor began to practice it tirelessly and even without having never studied formally music, began to introduce himself to the public, either in the school where he studied or at the parties of his friends. In 1963, she made her first amateur recording at a friend's house. In 1964, he started attending the nightclubs in the south, where he gave "canjas" in jam sessions, common practice in the 60's. Under the strong influence of bossa nova and jazz, Victor began to develop as a fine improviser, both Who only a year later was making his debut as a professional at the inauguration of the "Jazz and Bossa Club" in Copacabana.
Twin brother of the classic pianist João Carlos Assis Brasil, began to play professionally in 1965, going to 1969 to the United States to study at Berklee College of Music, and concludes his studies in the year of 1973. There touched next to Dizzy Gillespie, Jeremy Steig, Richie Cole, Clark Terry, Chick Corea, Ron Carter, Bob Mover among others.
In 1974 he moved definitively to Brazil. He resumed his professional career, undertaking trips through the different states. Records an album in concert at the Teatro da Galeria. In 1976 he presents the composition Suite for Sax Soprano and Strings, of his own, accompanied by the National Symphony Orchestra of Radio MEC, under the baton of the maestro Marlos Nobre. In 1977 he participated in the concerts at the Museum of Modern Art and Concha Verde, in Rio de Janeiro. In the same year he composed soundtracks for cinema and television. In 1978 it is the highlight of the São Paulo Festival, leaving audiences, critics and musicians impressed.
He died very young in Rio de Janeiro on April 14, 1981, at the age of thirty-five, due to a rare and serious circulatory disease, polyarteritis nodosa.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

Jackson do Pandeiro - Discografia

Jackson do Pandeiro
*31/08/1919 Alagoa Grande PB
+10/07/1982 Brasília DF

Jackson do Pandeiro, nome artístico de José Silva Gomes Filho , foi um cantor e compositor de forró e samba, assim como de seus diversos subgêneros, a citar: baião, xote, xaxado, coco, arrastapé, quadrilha, marcha, frevo, dentre outros. Também conhecido como O Rei do Ritmo.
Paraibano de Alagoa Grande, Jackson nasceu em 31 de agosto de 1919, com o nome de José Gomes Filho. Ele era filho de uma cantadora de coco, Flora Mourão, que lhe deu o seu primeiro instrumento: o pandeiro.
Seu nome artístico nasceu de um apelido que ele mesmo se dava: Jack, inspirado em um mocinho de filmes de faroeste, Jack Perry. A transformação para Jackson foi uma sugestão de um diretor de programa de rádio. Dizia que ficaria mais sonoro e causaria mais efeito quando fosse ser anunciado.
Somente em 1953, com trinta e cinco anos, Jackson gravou o seu primeiro grande sucesso: "Sebastiana", de Rosil Cavalcanti. Logo depois, emplacou outro grande hit: "Forró em Limoeiro", rojão composto por Edgar Ferreira.
Foi na rádio pernambucana que ele conheceu Almira Castilho de Albuquerque, com quem se casou em 1956, vivendo com ela até 1967. Depois de doze anos de convivência, Jackson e Almira se separaram e ele se casou com a baiana Neuza Flores dos Anjos, de quem também se separou pouco antes de falecer.
No Rio de Janeiro, já trabalhando na Rádio Nacional, Jackson alcançou grande sucesso com "O Canto da Ema", "Chiclete com Banana" e "Um a Um". Os críticos ficavam abismados com a facilidade de Jackson em cantar os mais diversos gêneros musicais: baião, coco, samba-coco, rojão, além de marchinhas de carnaval.
O fato de ter tocado tanto tempo nos cabarés aprimorou sua capacidade jazzística. Também é famosa a sua maneira de dividir a música, e diz-se que o próprio João Gilberto aprendeu a dividir com ele. Muitos o consideram o maior ritmista da história da Música Popular Brasileira e, ao lado de Luiz Gonzaga, foi um dos principais responsáveis pela nacionalização de canções nascidas entre o povo nordestino. Sua discografia compreende mais de 30 álbuns lançados no formato LP. Desde sua primeira gravação, "Forró em Limoeiro", em 1953, até o último álbum, "Isso é que é Forró!", de 1981, foram 29 anos de carreira artística, tendo passado por inúmeras gravadoras.
Durante excursão empreendida pelo país, Jackson do Pandeiro que era diabético desde os anos 60, morreu aos 62 anos, em 10 de julho de 1982, na cidade de Brasília, em decorrência de complicações de embolia pulmonar e cerebral. Ele tinha participado de um show na cidade uma semana antes e no dia seguinte passou mal no aeroporto antes de embarcar para o Rio de Janeiro. Ele ficou internado na Casa de Saúde Santa Lúcia. Foi enterrado em 11 de julho de 1982 no Cemitério do Cajú, na cidade do Rio de Janeiro, com a presença de músicos e compositores populares, sem a presença de nenhum medalhão da MPB. Hoje seus restos mortais se encontram na sua terra natal (Alagoa Grande) localizado não no cemitério local, mas sim em um memorial preparado em sua homenagem pelo povo alagoagrandense.

Jackson do Pandeiro, the artistic name of José Silva Gomes Filho, was a singer and composer of forró and samba, as well as his various subgenres, to mention: baião, xote, xaxado, coco, dragtapé, cuadrilha, marcha, frevo, among others . Also known as The King of Rhythm.
Paraibano de Alagoa Grande, Jackson was born on August 31, 1919, with the name of José Gomes Filho. He was the son of a coconut singer, Flora Mourão, who gave him his first instrument: the tambourine.
His stage name was born of a nickname he gave himself: Jack, inspired by a good guy from western movies, Jack Perry. The transformation to Jackson was a suggestion by a radio program director. He said it would be louder and would have more effect when it was to be announced.
Only in 1953, at the age of thirty-five, did Jackson record his first major hit, "Sebastiana," by Rosil Cavalcanti. Shortly after, another great hit came out: "Forró em Limoeiro", rojão composed by Edgar Ferreira.
It was on the radio station in Pernambuco that he met Almira Castilho de Albuquerque, whom he married in 1956, living with her until 1967. After twelve years of living together, Jackson and Almira separated and he married Neuza Flores dos Anjos from Bahia. Who also separated shortly before his death.
In Rio de Janeiro, already working on National Radio, Jackson achieved great success with "O Canto da Ema", "Chiclete com Banana" and "Um a Um". Critics were shocked by Jackson's ability to sing the most diverse musical genres: baião, coconut, samba-coco, rojão, and carnival marches.
The fact of having touched so much time in the cabarets has improved its jazz capacity. Also its famous is its way of dividing the music, and it is said that the own João Gilberto learned to divide with him. Many consider him the greatest rhythmist in the history of Brazilian Popular Music and, along with Luiz Gonzaga, was one of the main responsible for the nationalization of songs born among the people of the Northeast. His discography includes more than 30 albums released in LP format. From his first recording, "Forró em Limoeiro", in 1953, until the last album, "That's who is Forró!" Of 1981, were 29 years of artistic career, having gone through numerous record companies.
During a tour undertaken by the country, Jackson do Pandeiro, who had been diabetic since the 1960s, died at the age of 62 on July 10, 1982, in the city of Brasilia, due to complications of pulmonary and cerebral embolism. He had participated in a show in the city a week before and the next day spent badly at the airport before embarking for Rio de Janeiro. He was hospitalized at Saint Lucia Health House. He was buried on July 11, 1982 in the Cajú Cemetery, in the city of Rio de Janeiro, with the presence of popular musicians and composers, without the presence of any MPB medallion. Today his remains are in his native land (Alagoa Grande) located not in the local cemetery, but in a memorial prepared in his honor by the people of Alagoagrandense.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

PARTE 1          PARTE 2           PARTE 3

domingo, 19 de fevereiro de 2017

Os Originais do Samba - Discografia Completa.


Os Originais do Samba é um grupo brasileiro de samba formado na década de 1960 no Rio de Janeiro por ritmistas de escolas de samba.
O grupo começou a se apresentar em teatros e how, incluindo o palco do Copacabana Palace, onde realizou o espetáculo “O Teu Cabelo Não Nega”.
Fixaram-se em São Paulo depois de excursionar elo México, e em 1968 acompanharam Elis Regina na música vencedora da I Bienal do Samba, Lapinha, de Baden Powell e P.C. Pinheiro. No ano seguinte gravaram a música “Cadê Teresa”, de Jorge Ben, que fez grande sucesso. Participaram de festivais e ganharam discos de ouro pela vendas de suas gravações, principalmente nos anos 1970, combinando o canto uníssono, a roupa padronizada e boa dose de humor.
Um dos integrantes do grupo, Mussum, sairia para formar Os Trapalhões ao lado de Renato Aragão, Mauro Gonçalves e Dedé Santana.
Tocaram com grandes nomes da música brasileira, como Alex Luiz, Armando Geraldo, Jair Rodrigues, Vinicius de Moraes e mundial, como Earl Grant.
Excursionaram pela Europa e Estados Unidos, e foram o primeiro conjunto de samba a se apresentar no Olympia de Paris.

The Originals Samba is a Brazilian samba group formed in the 1960s in Rio de Janeiro by percussionists of samba schools.
The group began performing in theaters and how, including the stage of the Copacabana Palace, where he performed the play "The Your Hair Not Deny".
Settled in Sao Paulo after touring Mexico link, and in 1968 accompanied Elis Regina in winning Music Biennial Samba, Lapinha, Baden Powell and PC Pinheiro. The following year recorded the song "Where Teresa" by Jorge Ben, that was a big hit. Participated in festivals and won gold discs for sales of his recordings, mainly in the 1970s, combining the unison singing, standardized clothing and a good dose of humor.
One member of the group, Mussum, would come to form the Trapalhões alongside Renato Aragão, Mauro Gonçalves and Dede Santana.
They played with great names of Brazilian music, as Alex Luiz Armando Geraldo, Jair Rodrigues, Vinicius de Moraes and world, as Earl Grant.
Toured Europe and the US, and were the first set of samba to perform at the Olympia in Paris.


LINK TORRENT

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Alceu Valença - Discografia

* 1/7/1946 São Bento do Una, PE
Cantor. Compositor.
Cresceu ouvindo músicas de Dalva de Oliveira, Orlando Silva, Sílvio Caldas e outros. Aos quatro anos de idade, participou de um concurso de interpretação infantil, cantando sobre uma cadeira, devido a sua pequena estatura, uma música de Capiba. Com a doença de sua mãe, mudou-se com os irmãos para a casa de uma tia.
Aos 15 anos ganhou seu primeiro violão. Formou-se pela Faculdade de Direito do Recife, em 1970.
Também em 1970 participou do III Festival Universitário de Música Popular Brasileira com "Manhã de clorofila", que tirou o segundo lugar. Inconformado com a decisão do júri, devolveu o troféu. No Rio de Janeiro, deu continuidade à sua carreira artística. Encontrou-se com o também nordestino Geraldo Azevedo, com quem formou uma parceria. Com ele compôs diversas músicas de sucessos, entre as quais, "Caravana", "Talismã" e "Táxi lunar", esta última contando ainda com Zé Ramalho. Participou do V Festival Internacional da Canção com as músicas "Fiat Luz baby", "Erosão" e "Desafio Linda". Tomou parte também do IV Festival Universitário da Música Brasileira, em agosto de 1971, no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, com as composições "Água clara", "78 rotações" e "Planetário", todas em parceria com Geraldo Azevedo e que fizeram parte do primeiro disco da dupla, lançado no ano seguinte. Em 1972, procurou o cantor paraibano para interpretar a música "Papagaio do futuro" no VII Festival Internacional da Canção. A música ficou entre as 30 finalistas, não alcançando, entretanto, o resultado pretendido.
Em 1975, apresentou-se com Jackson do Pandeiro, no Teatro João Caetano, no Rio, no Projeto Seis e Meia. No mesmo ano, participou do festival "Abertura", na TV Globo, com a música "Vou danado pra Catende", de sua autoria, inspirada em versos do poeta pernambucano Ascenso Ferreira. Em função de sua apresentação, a organização do festival criou o prêmio de "melhor trabalho de pesquisa" especialmente para ele. Em 1977, lançou o disco "Espelho cristalino". No mesmo ano, percorreu o Brasil em companhia do cantor pernambucano Jackson do Pandeiro, realizando shows pelo Projeto Pixinguinha. Viveu em Paris no fim da década de 70. Em 1980, lançou o disco "Coração bobo", cuja música título tornou-se rapidamente grande sucesso. Em 1982, lançou o disco "Cavalo-de-pau", que consagraria definitivamente sua carreira, destacando os grandes sucessos "Tropicana", de Alceu e Vicente Barreto, e "Como dois animais", de sua autoria.
Em 1990, gravou com João do Vale a composição "Pisa na fulô", no disco "Amigos". Em 2000 lançou o CD "Forró de todos os tempos" e apresentou-se no festival de Montreux na noite chamada de "Pernambuco em canto: Carnaval de Olinda", além de realizar uma tournê pela Europa. Em 2002, marcando 30 anos de carreira, Realizou dois shows de lançamento do CD "De Janeiro a Janeiro", na Fundição Progresso, no Rio, em que confirmou seu exercício contínuo da poesia em várias formas, inclusive a de cordel. Alceu realizou com esse disco um antigo desejo de interromper sua trajetória por diversas gravadoras, que já havia ensejado com o CD "Forró de todos os tempos", comprado depois pela Sony Music. "De Janeiro a Janeiro" apresenta algumas de suas mais de 300 obras, em roupagem inédita, com novos arranjos, em que o sintetizador é substituído por sons de guitarras que lembram pífanos e rebecas, com destaque para "Estação da Luz", a nova "Flor de Tangeriana"e "Blues Baião", composta há trinta anos, quando chegou ao Rio, com uma carta para a irmã. Nesse ano, seus shows foram vistos por mais de 1 milhão de pessoas fora do eixo Rio-São Paulo.
Em 2014, lançou o DVD “Alceu Valença sinfônico”, registrado a partir de seu concerto “Valencianas”, em que foi acompanhado pela Orquestra de Ouro Preto, com regência de Rodrigo Toffolo. Em 2015, com o álbum “Amigo da arte”, recebeu o Prêmio de Música Brasileira, na categoria Melhor Cantor Regional. Em 2016, sua interpretação de “Flor de tangerina”, de sua autoria, integrou CD, lançado pela Som Livre, da trilha sonora da novela “Velho Chico”, exibida pela Rede Globo de Televisão.

Singer. Composer.
He grew up listening to songs by Dalva de Oliveira, Orlando Silva, Sílvio Caldas and others. At the age of four, she participated in a children's singing contest, singing on a chair, due to her small stature, a song by Capiba. With his mother's illness, he moved with his siblings to an aunt's house.
At age 15 he won his first guitar. He graduated from the Faculty of Law of Recife in 1970.
Also in 1970 participated in the III University Festival of Popular Brazilian Music with "Morning of chlorophyll", that took the second place. Unhappy with the jury's decision, he returned the trophy. In Rio de Janeiro, he continued his artistic career. He met with the Northeastern Geraldo Azevedo, with whom he formed a partnership. With him he composed several songs of successes, among which, "Caravan", "Talisman" and "Táxi lunar", the latter also counting on Zé Ramalho. Participated in the V International Song Festival with the songs "Fiat Luz baby", "Erosão" and "Desafio Linda". He also took part in the Fourth Festival of Brazilian Music in August 1971, at the João Caetano Theater in Rio de Janeiro, with compositions "Água clara", "78 rotações" and "Planetário", all in partnership with Geraldo Azevedo and Who were part of the pair's first album, released the following year. In 1972, he sought the singer from Paraíba to play the song "Parrot of the future" at the VII International Song Festival. The song was among the 30 finalists, but did not achieve the desired result.
In 1975, he performed with Jackson do Pandeiro, at the Teatro João Caetano, in Rio, in Project Six and Half. In the same year, he participated in the "Apertura" festival, on TV Globo, with his song "Vou danado para Catende", inspired by verses by the poet from Pernambuco Ascenso Ferreira. Due to its presentation, the organization of the festival created the award for "best research work" especially for him. In 1977, he released the album "Cristal Mirror". In the same year, he toured Brazil with the singer from Pandeiro, from Pernambuco, performing shows by Projeto Pixinguinha. He lived in Paris in the late 1970s. In 1980, he released the album "Heart Sucker", whose title song quickly became a big hit. In 1982, he released the album "Cavalo-de-pau", which would definitely consecrate his career, highlighting the great hits "Tropicana" by Alceu and Vicente Barreto, and "Like Two Animals", by his own.
In 1990, he recorded with João do Vale the composition "Pisa na fulô", on the album "Amigos". In 2000 he released the CD "Forró de todos os tiempos" and performed at the Montreux festival on the night called "Pernambuco in canto: Carnaval de Olinda", in addition to touring Europe. In 2002, marking 30 years of his career, he performed two shows for the release of the CD "De Janeiro a Janeiro", at Fundição Progresso, in Rio, where he confirmed his ongoing practice of poetry in various forms, including cordel. Alceu realized with this disc an old desire to interrupt his trajectory by several labels, that already had yielded with the CD "Forró of all the times", later bought by Sony Music. "From January to January" presents some of his more than 300 works, in unprecedented drapery, with new arrangements, in which the synthesizer is replaced by guitars sounds that resemble phalluses and cardigans, especially "Estação da Luz", the new "Flor de Tangeriana" and "Blues Baião", composed thirty years ago when she arrived in Rio, with a letter to her sister. That year, his shows were seen by more than 1 million people outside the Rio-São Paulo axis.
In 2014, he released the DVD "Alceu Valença symfônico", recorded from his concert "Valencianas", in which he was accompanied by the Orquestra de Ouro Preto, with regency of Rodrigo Toffolo. In 2015, with the album "Amigo da arte", he received the Brazilian Music Prize, in the category of Best Regional Singers. In 2016, his interpretation of "Flor de tangerina", of his own, integrated CD, released by Som Livre, of the soundtrack of the novel "Velho Chico", shown by Rede Globo de Televisão.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Wes Montgomery - Discografia completa (42 Álbuns)

John Leslie Wes Montgomery, mais conhecido como Wes Montgomery (Indianapolis, Indiana, 6 de Março de 1923 - 15 de Junho de 1968), foi um guitarrista de jazz norte-americano.
Filho do meio de três irmãos, todos músicos, mudou-se ainda criança para Ohio. Autodidata, Wes começou a tocar só aos 19 anos, e por influência de Charlie Christian, de quem ouvia os discos e memorizava os solos. Seis meses mais tarde, já tocava profissionalmente.
Wes tocava guitarra de uma maneira pouco ortodoxa, já que usava o polegar em vez da palheta, bem como um modo único de tocar em oitavas ou em block chords,o que tornava a sua guitarra mais expressiva e melodiosa. Muitos guitarristas do jazz atual nomeiam Wes como uma das suas principais influências, entre os quais: Pat Metheny e George Benson.
Sua extrema liberdade e fluidez no instrumento chamaram, desde o início, a atenção de músicos como Cannonball Adderley, e em 1960 lhe valeriam o prêmio New Star da revista DownBeat.
Wes definiu aquela que viria a ser a sonoridade clássica da guitarra de jazz nos anos 60 e tornou famosa a formação Guitarra, Órgão Hammond e bateria (The Wes Montgomery Trio 1959).
Na manhã de 15 de junho de 1968 em sua casa em Indianapolis, Indiana, ao despertar queixou-se com sua esposa de que não se sentia muito bem, após o que, Montgomery caiu, vindo a falecer de um ataque cardíaco minutos depois. Tinha apenas 45 anos e estava no auge de sua carreira juntamente com seu quinteto de jazz.

Wes Montgomery - Complete discography (42 Albums)
John Leslie Wes Montgomery, better known as Wes Montgomery (Indianapolis, Indiana, March 6, 1923 - June 15, 1968), was an American jazz guitarist.
Son of the middle of three brothers, all musicians, moved still child to Ohio. Self-taught, Wes started playing only when he was 19, and influenced by Charlie Christian, who listened to the records and memorized the solos. Six months later, he played professionally.
Wes played guitar in an unorthodox way, using his thumb instead of the pick, as well as a unique way of playing eighths or block chords, which made his guitar more expressive and melodious. Many current jazz guitarists name Wes as one of their main influences, including: Pat Metheny and George Benson.
His extreme freedom and fluidity in the instrument drew attention from musicians such as Cannonball Adderley from the outset, and in 1960 he was awarded the New Star award from DownBeat magazine.
Wes defined what would become the classic sonority of jazz guitar in the 1960s and made famous the Guitar, Hammond organ and drum line-up (The Wes Montgomery Trio 1959).
On the morning of June 15, 1968 at his home in Indianapolis, Indiana, upon awakening he complained to his wife that he did not feel very well, after which, Montgomery fell, having died of a heart attack minutes later. He was only 45 years old and was at the height of his career along with his jazz quintet.

LEIA MAIS EM / READ MORE AT:

Magnet Link: 310BD6E04C5DC53EC3CD501C604F4C9115F295E6

terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Paulo Moura - 3 Discos 1968 1969 e 1971

Paulo Moura nasce em 15 de julho de 1932, na Cidade de São José do Rio Preto, interior do Estado de São Paulo, filho de Pedro Gonçalves de Moura e de Cesarina Cândida de Moura. A Revolução Constitucionalista de 1932, iniciada em São Paulo contra o Governo Federal de Getulio Vargas, impediu que seu pai o registrasse na ocasião do nascimento. Assim surgiu a data de 17 de fevereiro de 1933, que consta até hoje em documentos oficiais.
Em 1941 aos nove anos, Paulo Moura inicia seus estudos musicais com o pai. Dele ganha a primeira clarineta.
Em 1944 começa a tocar no conjunto de seu pai Pedro Moura – em bailes populares no Clube Marcilio Dias, para a população negra de São José do Rio Preto, em tempos de discriminação racial. Extrai seu primeiro solo num choro composto pelo saxofonista Domingos Pecci.
Em 1945 a família Moura chega ao Rio de Janeiro, para morar na Rua Barão de Mesquita 363, na Tijuca.
Em 1950 ingressa, por mérito, diretamente no quarto ano do Curso de Clarineta, na Escola Nacional de Música, sob a orientação do Prof. Jayoleno dos Santos.
Em 1951 tem pela primeira vez tem carteira assinada como músico profissional em trabalho temporário: é o primeiro saxofone alto (solista) da Orquestra de Oswaldo Borba na Rádio Globo.
Em 1965 Paulo Moura faz uma série de arranjos para Elis Regina , no LP “Samba - Eu Canto Assim”, com destaque para as canções : "João Valentão" de Dorival Caymmi e "Menino das Laranjas" de Théo Lima.
Em 1966 inicia a estreita amizade com Wagner Tiso, a quem convida para integrar o quarteto do baterista Edison Machado, em substituição à Osmar Milito, que deixava o grupo para viver em Los Angeles.
Em 1968 o LP “Hepeteto – Mensagem" com Wagner Tiso (piano), Pascoal Meirelles (bateria), Luis Alves (contrabaixo), Oberdan Magalhães (sax tenor), Cesário Constâncio (trombone), e Darcy da Cruz ( trompete) é lançado pela gravadora Equipe no momento em que há uma retomada da bossa nova, agora voltada para o público mais sofisticado e amante do jazz.
Em 1969 a gravadora Equipe lança os LPs “Quarteto" com Wagner Tiso (piano), Luís Alves (contrabaixo) e Pascoal Meirelles (bateria) e “Pilantrocracia” em que reúnem-se a eles Darcy da Cruz e Heraldo Reis (trompete), Oberdan magalhães (sax), Cesário constâncio (trombone) e Mayuto Correa (tumbadora).
Em 1971 a gravadora Equipe lança o LP Fibra no qual Paulo Moura volta à formação com sete músicos: temos novamente Oberdan Magalhães (sax tenor e flauta), Cesário Constâncio (trombone), Wagner Tiso (piano e órgão) e Luíz Alves (contrabaixo e violão). Neste último, Marcio Montarroyos substitui Darcy da Cruz e Robertinho fica no lugar de Pascoal Meirelles. O disco tem, ainda, as participações de Tavito tocando guitarra em quatro faixas e Milton Nascimento tocando piano em uma e traz de novo, "Samba de Orfeu", "General da banda" e "Bitucadas nº 2", presentes em "Hepteto - Mensagem", mas com diferenças de arranjos que músicos diferentes na banda sempre impõem.
Em 2009 Paulo Moura excursiona para Tunísia e o Equador. Sua música é recebida com grande repercussão na imprensa internacional que o considera Embaixador da Música Instrumental Brasileira."
Lança o Cd “AfroBossaNova”, em parceria com o guitarrista baiano Armandinho (Armando Macedo).
Em 2010 no dia 6 de março é inaugurada a Sala Paulo Moura, no Centro de Referência da Música Brasileira, Secretaria Municipal de Cultura do Rio de Janeiro, por iniciativa de Jandira Feghali e Humberto Araujo.
Em 18 de junho deste ano sobe ao palco pela última vez em show no Sesc Pompéia de São Paulo.

Depois de seis anos de tratamento de um câncer linfático Paulo Moura falece em 12 de julho de 2010, no Rio de Janeiro.
O Congresso Americano, em 15 de julho, data em que completaria 78 anos, ergue uma bandeira em meio mastro, em sua homenagem e confere-lhe o Certificado de Mérito por sua luta contra o racismo ao reunir a música erudita à música das ruas do Rio e ao jazz americano, criando seu próprio estilo.

Paulo Moura was born on July 15, 1932, in the city of São José do Rio Preto, in the interior of the State of São Paulo, son of Pedro Gonçalves de Moura and Cesarina Cândida de Moura. The Constitutionalist Revolution of 1932, initiated in Sao Paulo against the Federal Government of Getulio Vargas, prevented his father from registering him at the time of his birth. Thus came the date of February 17, 1933, which appears to this day in official documents.
In 1941 at the age of nine, Paulo Moura began his musical studies with his father. From him wins the first clarinet.
In 1944 he began to play in the ensemble of his father Pedro Moura - in popular dances in the Marcilio Dias Club, for the black population of São José do Rio Preto, in times of racial discrimination. He extracts his first solo in a cry composed by the saxophonist Domingos Pecci.
In 1945 the Moura family arrives in Rio de Janeiro, to live in Rua Barão de Mesquita 363, in Tijuca.
In 1950 he entered, on merit, directly in the fourth year of the Clarineta Course, at the National School of Music, under the guidance of Prof. Jayoleno dos Santos.
In 1951, for the first time, he has a portfolio signed as a professional musician in temporary work: he is the first alto saxophone (soloist) of the Orquestra de Oswaldo Borba on Radio Globo.
In 1965 Paulo Moura made a series of arrangements for Elis Regina, in the LP "Samba - Eu Canto Assim", with emphasis on the songs: "João Valentão" by Dorival Caymmi and "Menino das Laranjas" by Théo Lima.
In 1966 he began his close friendship with Wagner Tiso, whom he invited to join the quartet of drummer Edison Machado, replacing Osmar Milito, who left the group to live in Los Angeles.
In 1968 the LP "Hepeteto - Message" with Wagner Tiso (piano), Pascoal Meirelles (drums), Luis Alves (bass), Oberdan Magalhães (tenor sax), Cesário Constâncio (trombone) and Darcy da Cruz (trumpet) By Team Records at the moment there is a resumption of bossa nova, now focused on the most sophisticated and jazz-loving audience.
In 1969, Team Records released the LPs "Quarteto" with Wagner Tiso (piano), Luís Alves (bass guitar) and Pascoal Meirelles (drums) and "Pilantrocracia" in which Darcy da Cruz and Heraldo Reis (trumpet) Oberdan magalhães (sax), Cesario constâncio (trombone) and Mayuto Correa (tumbadora).
In 1971 the team record company LP Fibra in which Paulo Moura returns to the formation with seven musicians: we have again Oberdan Magalhães (sax tenor and flute), Cesário Constâncio (trombone), Wagner Tiso (piano and organ) and Luíz Alves guitar). In the latter, Marcio Montarroyos replaces Darcy da Cruz and Robertinho is in the place of Pascoal Meirelles. The album also has the participation of Tavito playing guitar in four tracks and Milton Nascimento playing piano in one and brings back "Samba de Orfeu", "General da banda" and "Bitucadas no. 2", present in "Hepteto - Message ", but with different arrangements that different musicians in the band always impose.
In 2009 Paulo Moura toured to Tunisia and Ecuador. His music is received with great repercussion in the international press that considers him Ambassador of Brazilian Instrumental Music. "
Launches the CD "AfroBossaNova", in partnership with the Bahian guitarist Armandinho (Armando Macedo).
In 2010, on March 6, the Paulo Moura Room was inaugurated, at the Reference Center of Brazilian Music, Rio de Janeiro's Municipal Culture Secretariat, on the initiative of Jandira Feghali and Humberto Araujo.
On June 18 of this year he takes the stage for the last time in a show at Sesc Pompéia in São Paulo.
After six years of treatment of a lymphatic cancer Paulo Moura dies on July 12, 2010, in Rio de Janeiro.
The US Congress, on July 15, when it would turn 78, holds up a banner on its mast in honor of it and bestows on it the Certificate of Merit for its fight against racism by bringing erudite music to the music of the streets of Rio and American jazz, creating their own style.


LEIA MAIS EM / READ MORE AT: